Olha só!, é um blog olho no olho, quero dizer, palavra no ouvido, grito no espaço, segredo e colapso público. É pra conversar um pouco pois é conversando que a gente se entende. Um pouco. Em tempo: todas as fotografias são do mesmo autor dos textos.
Quarta,18 de abril de 2012
EMBALAGEM



O amor mente brando como quem não acredita no bem no mal, instintivo como camaleão, se esgueira entre pedras e ramos e manso surpreende suas presas, não trocando sua pele mas o tinturar da aparência, e feito um vagalume surge e some, farol e negrume, sinal e nenhum lume.
O amor, por vezes, também se desentende consigo mesmo, principalmente quando se olha no espelho e se enxerga a face fatal.
É fato que o amor mente, como se sobre a terra o céu armasse um temporal. Mas só porque não contava com o vento dissolvendo as nuvens, arrastando os cúmulos, desfazendo o engenho de um desejo de ser bicho solto, árvore sem oco, palmeira que não dá coco, o amor é um troço sonso, estranho objeto de desejo, o amor é um eterno e intermitente respirar, ora aqui, ora acolá.
O amor é uma coisa da qual me canso, por ter que repetir mil vezes, de maneiras diferentes, as formas de o ninar e embalar.


marco.
20.01.2012.

Quarta,18 de abril de 2012
SENTINELA



compreender você, entender te ter e ser seu, é muito fácil e extremamente irrazoável, absolutamente lógico e absurdamente improvável, um acidente sismológico, um terremoto prenunciando um tsunami, um pudor abnegado conjugado a um destemperamento sem par.
compreender a mim, com você, é a coisa mais simples e dócil, embora me exija extirpar de mim séries de preconceitos, metros de fantasias, quilômetros de gramáticas e galáxias de vernáculos que no fundo não me valeriam nada se realmente te amo e é e será isso que vai e irá e será o que há de vigorar.
compreender esse vigor, apreender o fulgor que resplandece entre nós, mesmo quando nesse momento te aprecio dormindo, ou quando estive bêbado te declarando um amor sem decassílabos; compreender o amor é empreender a mais fatal das aventuras.
e, no entanto, mesmo com risco de morte, posso viver por isso, porque você me disbussula, mas me esclarece os polos principais, me mostra as rotas para você. que hoje, intuitiva, sabe o que em mim é realmente essencial e fulminantemente é consciente do que não preciso ou quero mais compreender.
tenho ciência de tudo que sou e do que você é em si e pra mim. então feche os olhos de novo, siga dormindo, descanse agora porque daqui a pouco quem desmaiará será este eu, que por ora se encanta em te olhar e te ama em silêncio mas fará qualquer algazarra se alguém sequer pensar em ousar te despertar.


marco.
09.02.2012.

Quinta, 05 de abril de 2012
DECLARAÇÃO DE AMOR




será que posso dizer que te amo
e que isso não tem explicação
ou muito menos justificativa?

não sei dizer se é pelo sorriso franco ou
pelas suas ancas que gostam de dançar
se é pelo teor de fortaleza e verdade
que me invade quando frente a frente
miro seu olhar ou
será que será que já é pela pele
na pele e o corpo no corpo e
as infinitas horas de conversas e
pela nossa mineral identidade ou
por toda vegetal animalidade que
nos compõe e direciona para
o sol e a lua e as cataratas e as marés
e as estrelas e lendas e estórias sem fim

não sei dizer nem por tudo e nem por nada
muito menos qualquer porquê
porque sei o quanto é um valoroso privilégio
se sentir amado e também sei o quanto me é
difícil, porque raro, chamar alguém de amada
ainda mais quando não é simplesmente alguém
mas uma rara eleita que me deleita e se dispôs
companheira e luz, amante e clarão, mulher e signo,
fêmea e vulcão, e que a cada dia e hora se desdobra
em surpresas ótimas para mim que não tenho receio
de novidades e adoro tudo que me trará a imensidão
de prendas e generosas dádivas que sei
que você, essa moça bonita, tem em si para doar
para mim e para tantos outros viventes
deste celestial e infernal planeta terra.

mas para voltar a lugar nenhum e
insistir em afirmar meu amor
que na verdade não quer criar lenda,
só e somente confesso que o que hoje
eu sinto não tem com nada nenhuma parecência
e me esgotam as palavras para tentar
explicar o que é muito
mais que eu e que me transcende,

esse amor que me move o tempo, porque é você aquela de quem amo a força e virtude

e que a cada sempre me faz que eu me reinvente.

por isso posso, quero, me permito, me dou licença, postura e excelência

para amar essa mulher e estar feliz,

um homem pleno, uma criatura grata, um poeta intenso.



marco.
03.01.2012.

Páginas
<< Início  < Anterior 2 3 4